Congelamento de óvulos, explicado

Congelamento de óvulos, explicado

É até meio futurista pensar em congelar uma parte de você para conservar sua juventude.

A verdade é que congelar óvulos é um assunto um pouco assustador, complicado e que muita gente ainda conhece pouco. Mas ao mesmo tempo, pode ser uma segurança pra quem quer engravidar um dia ou ter mais filhos no futuro e não quer (ou até não pode) depender apenas do seu relógio biológico.

No Brasil, o processo ainda é bem restrito: hoje, congelar seus óvulos pode custar entre 12 e 20 mil reais por sessão (você pode precisar de até 3 sessões por tratamento), sem falar dos custos de manter seus óvulos congelados por anos e anos. Mesmo que esse custo caiba no seu orçamento, saber por onde começar também é uma barreira. Então vamos passo a passo:

Passo 1: Planejar com seu médico

Antes de tudo, você precisa conversar com o médico que vai te acompanhar por todo o processo. Ele vai te pedir alguns exames, como o exame de HAM (que a Oya oferece), para saber como está seu corpo e sua reserva ovariana e entender melhor quais medicamentos seriam os indicados pra você. O objetivo é calcular quantos óvulos seu corpo conseguirá liberar nesse processo. Com todas as novas informações que você vier a descobrir, você também vai poder decidir se quer mesmo seguir em frente com o congelamento.

Passo 2: Preparar seu corpo

Se você decidiu seguir com o processo, agora é hora de preparar o seu corpo para a extração de óvulos. Todo dia, você deve tomar uma injeção hormonal, que vai estimular os folículos nos seus ovários a produzirem óvulos maduros. Essa ideia de tomar injeção todo dia pode ser um pouco estranha, mas muitas mulheres chamam uma enfermeira em casa pra ajudar com isso — sem falar nas pessoas especiais da nossa vida que estarão a seu lado. Você também vai estar sempre indo ver seu médico, que vai acompanhar o desenvolvimento dos seus folículos com ultrassons pélvicos.

Passo 3: Extração de óvulos

Quando seus folículos e óvulos estiverem no ponto certo, é a hora da extração. Você tomará uma injeção diferente e vai voltar ao consultório em 36 horas para o procedimento. Com uma agulha e guiado por um ultrassom vaginal, seu médico vai aspirar o líquido dos seus folículos, onde seus óvulos maduros devem estar. Pode ser um pouco desconfortável, mas leva menos de uma hora e você fica acordada o tempo todo.

Passo 4: O próprio congelamento!

Agora, é com o médico. O fluido dos folículos que o médico extraiu no passo anterior vai para um embriologista, que examina e localiza os óvulos maduros. Os óvulos são, então, congelados por meio de um processo ultra rápido que chamam de vitrificação, que preserva o tecido dos seus óvulos da melhor forma possível. Depois de congelados, seus óvulos são guardados e mantidos na clínica de fertilidade, esperando a hora certa chegar.

Passo 5: Descongelar e fertilizar

Chegou o momento? Então pode convocar seus óvulos pra que sejam descongelados e voltem para você. A partir disso, acontece a fertilização in vitro (FIV) — que já é outra história e merece sua própria discussão! Logo a gente volta com esse assunto. 😉

Pronto, é assim que acontece o congelamento de óvulos. A ideia é ajudar você a ter um planejamento familiar com mais tranquilidade, pra você engravidar quando você quiser, no seu tempo. Se fizer sentido para seus planos de vida, encontre um médico de confiança e ele te guiará pelo processo. E lembra: na hora de fazer o teste de HAM, a Oya também está aqui pra te ajudar. Boa sorte!

Leia também:

Depressão em mulheres: o que saúde física tem a ver com isso?

Depressão em mulheres: o que saúde física tem a ver com isso?

Por que falar sobre depressão e especificamente sobre depressão em mulheres? O que nosso corpo e nossa mente têm em comum? Por que uma pessoa desenvolve depressão? Quais são os sintomas de depressão? E, por fim, um quadro depressivo tem cura? Vem com a gente que a conversa vai ser cheia de informação!


Ler texto

O que são óleos essenciais? 05 coisas que você precisa saber

O que são óleos essenciais? 05 coisas que você precisa saber

Falar em óleos essenciais é falar sobre uma sinergia poderosa entre medicina e natureza, o verdadeiro encontro entre a deusa e a ciência que tanto valorizamos por aqui. Se você anda se perguntando o que são óleos essenciais e como pode introduzi-los na sua vida, esse post é para você!

Ler texto